Pra você, qual é a importância do ajuste de desempenho do banco de dados? Bem, o mundo funciona essencialmente com base em dados.

Para garantir que os dados sejam acessíveis de forma fácil, rápida e segura, os bancos de dados precisam funcionar de maneira eficiente e estar disponíveis o tempo todo. Mas, na prática, isso pode ser um tanto desafiador, não é mesmo?

Existem inúmeras razões pelas quais os bancos de dados não funcionam bem, mas os especialistas em bancos de dados tendem a concordar que os problemas de desempenho do SQL são quase sempre o resultado de consultas mal escritas e indexação ineficaz.

É bem aqui que o ajuste de desempenho entra em campo. O ajuste de desempenho de SQL é o processo de fazer com que as instruções SQL sejam executadas da melhor maneira possível, localizando e seguindo o caminho mais rápido para responder a uma consulta.
O primeiro ponto é decidir por onde começar o ajuste de desempenho e se ele é necessário. Na teoria pode até parecer fácil, na prática, nem sempre é assim.

Melhorando sua abordagem para ajuste de desempenho de banco de dados

A maneira como você aborda o ajuste de desempenho do banco de dados dependerá dos problemas de desempenho que você está tentando resolver. Não existe uma solução única de ajuste de desempenho para todos, mas existem algumas práticas recomendadas que podem ajudá-lo a melhorar a velocidade e a eficiência do banco de dados.

Quando você está iniciando o ajuste de desempenho do banco de dados, é útil saber exatamente com o que você está lidando antes de se aprofundar demasiadamente. Então, eu reuni uma lista de 8 dicas, com práticas recomendadas de ajuste de desempenho de banco de dados que cobrem tudo, desde o básico até a automação. Vamos dar uma olhada?

1. Mantenha as estatísticas atualizadas

As estatísticas da tabela são usadas para gerar planos de execução ideais . Se a ferramenta de ajuste de desempenho estiver usando estatísticas desatualizadas, o plano não será otimizado para a situação atual.

2. Não use caracteres curinga iniciais

Os caracteres curinga iniciais nos parâmetros forçam uma varredura completa da tabela, mesmo se houver um campo indexado dentro da tabela. Se o mecanismo de banco de dados precisar verificar todas as linhas de uma tabela para encontrar o que está procurando, a velocidade de entrega dos resultados da consulta será prejudicada..

3. Evite SELECT *

Essa dica é particularmente importante se você tiver uma tabela grande (pense em centenas de colunas e milhões de linhas). Se um aplicativo precisar de apenas algumas colunas, inclua-as individualmente em vez de perder tempo consultando todos os dados. Novamente, a leitura de dados extras fará com que a utilização da CPU aumente e a memória sofra uma sobrecarga. Você deve verificar a expectativa de vida da página (PLE*) para ter certeza de que não está tendo esse problema.

4. Use restrições

As restrições são uma forma eficaz de acelerar as consultas e ajudam o otimizador de SQL a apresentar um plano de execução melhor, mas o desempenho aprimorado tem o custo dos dados que requerem mais memória. O aumento da velocidade de consulta pode valer a pena dependendo do objetivo do negócio, mas é importante estar ciente do preço.

5. Olhe para o plano de execução real, não o plano estimado

O plano de execução estimado é útil quando você está escrevendo consultas porque fornece uma visualização de como o plano será executado, mas é cego para os tipos de dados de parâmetro que podem estar errados. Para obter os melhores resultados ao ajustar o desempenho, geralmente é melhor revisar o plano de execução real porque ele usa as estatísticas mais recentes e precisas.

6. Ajuste as consultas fazendo uma pequena mudança de cada vez

Fazer muitas mudanças ao mesmo tempo tende a turvar as águas. Uma abordagem melhor e mais eficiente para o ajuste de consulta é fazer alterações nas operações mais caras primeiro e trabalhar a partir daí.

7. Ajuste os índices para reduzir I / O

Antes de mergulhar na solução de problemas diretamente, primeiro tente ajustar os índices e o ajuste de consulta. Considere o uso de um índice de cobertura que inclua todas as colunas na consulta, isso reduz a necessidade de voltar à tabela, pois ela pode obter todas as colunas do índice. O ajuste de índices e o ajuste de consulta têm um alto impacto em quase todas as áreas de desempenho, portanto, quando são otimizados, muitos outros problemas de desempenho também são resolvidos.

8. Compare SQL otimizado e original

Ao otimizar consultas SQL , certifique-se de destacar as alterações na instrução SQL para que você possa comparar a instrução original com a versão otimizada. Reúna uma métrica de linha de base, como E / S lógica, para comparar durante o ajuste. Não faça nenhuma alteração até ter certeza de que a versão otimizada é precisa e realmente melhora o desempenho.

 

DICA BÔNUS

Automatize a otimização SQL

As ferramentas de otimização SQL automatizadas não apenas analisam sua instrução SQL, mas também podem reescrevê-la automaticamente ou otimizar índices até encontrar a variação que cria a maior melhoria no tempo de execução da consulta.

Realizar o ajuste de desempenho regularmente é a chave para melhorar o desempenho do banco de dados. Concentrando-se na otimização de consultas e limpeza de índices, uma grande parte dos problemas de desempenho pode ser resolvida sem muito trabalho pesado. O ajuste regular do desempenho do banco de dados ajuda a garantir alta disponibilidade e tempos de resposta rápidos, o que é essencial para os usuários finais de hoje, que exigem nada menos do que 100 por cento dos aplicativos de que dependem.

*PLE (Page Life Expect) é utilizado para medir o tempo médio que uma página permanece em cache na memória antes de ser expulsa por causa da necessidade de ler mais dados do disco.

NÃO CONHECE UMA SOLUÇÃO QUE PODE TE AJUDAR COM A AUTOMAÇÃO E ALÍVIO DAS CONSTANTES DORES DE CABEÇA, DEVIDO À FALTA DE AJUSTE DE DESEMPENHO?

Nós podemos te ajudar! Converse com um de nossos especialistas: contato@anovasolucao.net ou pelo fone 51 4042-2400.